Sitcor & Saúde >> Outubro Rosa
Publicado em: 11/10/2016

Outubro Rosa

Outubro Rosa

Em outubro, temos uma nova campanha, o movimento chamado Outubro Rosa, uma data que anualmente se promove a conscientização e estimula as pessoas a participar do controle do câncer de mama. É uma forma de mostrar às mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença, que tira muitas vidas todos os anos.

O movimento outubro rosa, surgiu em 1990, com a primeira corrida pela cura da doença em Nova York. O nome dado é pela cor do laço rosa que é o símbolo mundial da luta contra o câncer de mama, incentivando a participação de empresa, entidades e de toda a população. Os monumentos e pontos históricos, se iluminam para chamar a atenção de todos sobre a doença.

Todos sabemos que o diagnóstico precoce e a prevenção salvam vidas. Esta doença infelizmente é uma das principais causas de morte das mulheres em todo o mundo. No entanto a chance de cura é muito grande se for descoberta no início. Por isso, principalmente durante todo este mês, as mulheres são incentivadas a realizar os exames preventivos de mamografia.

As mulheres, precisam se conscientizar que, independentemente da idade, tem que se conhecer, conhecer o próprio corpo e saber quando existe algo de errado com ele. Os médicos recomendam que as mulheres façam exames periódicos, exames de rotina de acordo com a idade, para identificar o câncer mesmo sem aparecerem os sintomas.

Normalmente as mulheres de 40 a 49 anos, devem realizar o exame clínico das mamas, uma vez por ano. A partir dos 50 até os 69 anos, devem realizar exame clínico anualmente e fazer mamografia a cada dois anos. No entanto se houver histórico de câncer na família, o médico deverá ser consultado, para avaliar os riscos e quais os exames e tratamentos devem ser adotados para prevenção. O mais importante é não adiar os exames e as avaliações.

A mamografia é um exame, capaz de identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas. É um exame bem rápido. Pode provocar dor em algumas mulheres, depende da sensibilidade de cada uma, mas é uma dor suportável e breve.

Durante o mês de outubro, haverá muitos eventos com o intuito de divulgar informações e ações ligadas ao tema, para que as mulheres tenham consciência sobre a prevenção. Corridas, caminhadas, debates, palestras, enfim toda a forma de mostrar que precisamos prevenir a doença e não ter medo de falar sobre ela.

O SUS, Sistema Único de Saúde oferece exame de mamografia gratuito para as mulheres em todas as idades. Existindo o exame de forma gratuita, não há porque não fazer os exames e se prevenir. As mulheres precisam estar informadas e se conscientizar que fazer o exame é necessário. Os médicos recomendam que exames antes dos 35 anos, devem ser feitos somente em casos específicos, quando já teve algum caso na família.

Depois do câncer de pele (não melanoma), o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo e novos casos surgem a cada ano.

A mensagem que a campanha traz para as pessoas, é para que elas participem mais das atividades que o país promove, para conscientizar a população sobre o tema. Precisamos debater mais sobre o assunto, as pessoas não gostam muito de falar sobre a doença, por medo, por falta de conhecimento. As mulheres têm que conhecer e saber da importância de tocar e sentir as suas mamas e ficar atentas as alterações que achar suspeitas. Todas as informações divulgadas, visam levar as mulheres aos serviços de tratamento, de diagnósticos, com o intuito de reduzir a mortalidade.

Existem vários tipos de câncer de mama, A doença é causada quando existe uma multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Existem alguns tipos de tumor que se desenvolvem rápido e outros mais lentamente.

A maior parte dos casos de câncer de mama, quando são detectados em fase inicial, são tratados e tem grandes chances de cura. A mulher deve conhecer seu corpo independentemente da idade. Na maioria das vezes, as próprias mulheres descobrem o câncer de mama, com o autoexame. A idade é um dos fatores de risco mais importante para a doença, normalmente após os 50 anos. Outros fatores ambientais ou comportamentais também aumentam o risco. Fatores genéticos e hereditários, hormonais e reprodutivos, também interferem.

Quando as mulheres fazem o autoexame, conseguem detectar a presença de algo diferente do normal em suas mamas. Com o toque das mãos, consegue perceber se algum caroço ou nódulo duro, geralmente indolor surgir, também consegue perceber visualmente que a pele da mama pode ficar avermelhada, retraída, os bicos do peito ficam alterados, também pode notar alguns nódulos embaixo dos braços ou no pescoço. O autoexame deve ser feito, quando elas se sentirem confortáveis, no banho ou quando for trocar de roupas, é importante que as mulheres observem suas mamas, não existe técnica, precisa dar importância as descobertas das alterações mamarias. Se notarem alterações, devem procurar uma avaliação médica. Lembrando que nem sempre o nódulo encontrado pode ser maligno.

Os fatores ambientais e comportamentais que podem causar a doença são obesidade e sobrepeso pós menopausa, falta de exercícios físicos, exames frequentes de Raio-X, consumo de bebidas alcoólicas.

Fatores genéticos e hereditários como histórico de câncer na família de ovário ou mama, após os 50 anos ou alterações genéticas (genes).

Os fatores reprodutivos e hormonais que podem causar o problema como menstruação antes de 12 anos, não ter filhos, não amamentar, gravidez depois dos 30 anos, menopausa após 55 anos, uso de anticoncepcionais, reposição hormonal após menopausa por mais de 5 anos.

Se a mulher tiver um ou mais destes fatores, o risco é muito elevado para desenvolver a doença, por este motivo deve consultar um médico para avaliação.

Com hábitos saudáveis podem ser evitados muitos casos de câncer de mama, como por exemplo: praticar atividades físicas com regularidade, manter o peso adequado, ter uma alimentação saudável, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, amamentar.

A mamografia é uma radiografia das mamas, feita pelo mamógrafo, pode ser de rastreamento ou diagnóstica.

A mamografia de rastreamento é realizada em mulheres de 50 a 69 anos a cada 2 anos, por 11 anos, quando não há sinais nem sintomas. Ela pode ajudar a reduzir a mortalidade. Além do benefício de encontrar o problema no início, o tratamento é menos agressivo e a chance de cura bem maior. Existe a chance de o exame dar resultado falso positivo ou falso negativo, gerando novos exames, cirurgias e tratamentos o que poderá causar muita ansiedade e estresse nas mulheres. Exames de raio X, muito frequentes, podem causar câncer.

A Mamografia diagnóstica, investiga lesões suspeitas na mama. De acordo com o pedido médico, pode ser realizada em qualquer idade, assim como outros exames complementares. Normalmente não é feito em mulheres muito jovens, pois as mamas são densas e os resultados podem não ser muito exatos.

No último outubro rosa, discutiram sobre atividades importantes para o evento deste ano. O mais importante a ser avaliado, é sobre a importância de se falar sobre o assunto. As pessoas precisam perder o medo de falar sobre a doença e se informar mais sobre a prevenção e o diagnóstico precoce. O trabalho voluntário, as ações diretamente nas ruas, são mais efetivas, pois atingem diretamente as mulheres e quem está perto delas.

Apoiar a luta contra o câncer de mama, fazer exames de mamografia, ajudar a informar e divulgar esta causa é nossa obrigação. O diagnóstico precoce é o melhor tratamento.

Outubro rosa, vamos fazer esta luta bater mais forte no peito.

Grupo SITCOR - Cuidando de você e da sua família